Gre-Nal 405 termina empatado e decisão do Gauchão fica para o Beira-Rio

O primero Gre-Nal da decisão do Gauchão 2015 terminou sem gols e empatados por três razões claras: 1) Houve muita marcação (como sempre); 2) Faltaram os homems-gols (Braian e Nilmar não foram bem); 3) Os craques (D’Ale e Douglas) pouco fizeram. Por isso, o clássico ficou no 0 a 0. Por isso, faltou mais emoção. Ficou tudo para o jogo do dia 3 de maio, no Beira-Rio.

Gre-Nal 405 termina empatado e decisão do Gauchão fica para o Beira-Rio Carlos Macedo/Agencia RBS

Inspirados pela voz bonita de Shana Müller (D’Ale e Fellipe Bastos até arriscaram cantar), que caprichou no Hino Riograndense antes da partida, os jogadores começaram o jogo com o pé no fundo. Logo a 1min30seg, Marcelo Oliveira
encarnou um ponta-esquerda driblador dos anos 1980 e saiu como um foguete em direção ao gol de Alisson. Caiu na área, mas Anderson Daronco não marcou nada.

A seguir, Braian Rodríguez bateu mascado e goleiro do Inter colocou para escanteio antes da chegada de Giuliano. O Grêmio mostrava mais sede nos primeiros movimentos de jogo. Em outra jogada de Marcelo Oliveira, Maicon, com sua chuteira verde-limão, mandou para sobre o gol colorado.O Inter parecia paralisado com a correria imposta pelo time de Felipão. Despertou quando o lateral-esquerdo Geferson aplicou um chapéu em Luan, aqueles de raspar o cabelinho.

Aos 25, a melhor chance da equipe de Aguirre com Nilmar em uma arrancada bem característica. Saiu a dribles e bola sobrou para Sasha que, impedido, chutou alto.

O Grêmio continuava um pouco melhor. Douglas bateu de esquerda e Alisson defendeu. Agitado, Felipão balançou a cabeça. O técnico gremista não saiu do espaço reservado aos técnicos. Aguirre, não, ia e voltava, colocava a mão no queixo e pouco
instruções passava. Antes de Daronco terminar a etapa inicial, William, lateral que estava assustado nos primeiros minutos, chutou cruzado, levando perigo a Grohe. Aliás, Grohe resumiu os primeiros 45 minutos assim:

—  Foi um jogo aguerrido, equilibrado.

Aguerrido sim, mas tendeu mais para o Grêmio. O segundo tempo foi bem diferente. E essa diferença tem nome: Valdívia. O transformou o Inter. E o jogo. Jogador vertical, levou a equipe de Aguirre à frente. Aos 13, em contra-ataque, D’Ale arrancou e bateu firme para defesa também firme de Grohe.

Aos 17 minutos, um baque no Grêmio: Geromel foi expulso ao derrubar Valdívia. Aso 24, outra boa chance para os colorados, outra jogada de Valdívia, finalizada por Sasha.

Para tentar mudar o cenário favorável ao Inter, Felipão mandou Cebolla a campo. A torcida vibrou. Um torcedor tricolor gritou: “Vai Cebollita”. Mostrou garra, coisa e tal, mas não pouco ajudou.

O jogo, bem brigado, terminou sem gols. É o que se espera ver no Beira-Rio na próxima semana.

Sérgio Villar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.