Estatísticas, renda e público: todas as informações do Gre-Nal 406

O Inter venceu o Grêmio no Gre-Nal 406 e conquistou o pentacampeonato do Gauchão. Confira todas as informações sobre a partida:

INTER
Alisson; William, Alan Costa, Ernando e Geferson (Alan Ruschel, 33’/2°); Rodrigo Dourado, Aránguiz, Valdívia, D’Alessandro (Alex, 24’/2°) e Eduardo Sasha; Nilmar (Lisandro López, int.).
Técnico: Diego Aguirre

GRÊMIO
Marcelo Grohe; Matías Rodríguez, Erazo, Rhodolfo e Marcelo Oliveira; Fellipe Bastos (Walace, 28’/1°), Maicon, Giuliano, Douglas (Everton, 23’/2°) e Luan; Braian Rodríguez (Yuri Mamute, int.).
Técnico: Felipão.

Nilmar (I), aos sete minutos; Valdívia (I), aos 18 minutos; Giuliano (G), aos 47 minutos do primeiro tempo.

Aránguiz, Valdívia, Ernando (I), Fellipe Bastos, Marcelo Oliveira, Walace (G).

Rhodolfo (G).

Leandro Vuaden, auxiliado por Rafael da Silva Alves e Marcelo Barison.

41.791 pessoas (público total)
R$ 1.993.870,00

estatisgrenal

— O Inter visita o Atlético-MG na quarta-feira, às 22h, pela ida das oitavas de final da Libertadores.

— O Grêmio estreia no Campeonato Brasileiro no próximo domingo, às 11h, quando recebe a Ponte Preta na Arena.

Fonte: ZH

Anúncios

Inter vence o Gre-Nal 406 e conquista o pentacampeonato do Gauchão

Pela 44ª vez na história, o Inter é campeão do Gauchão. Com uma vitória por 2 a 1 no Gre-Nal 406, o time de Diego Aguirre derrubou o maior rival e levou o pentacampeonato estadual no Beira-Rio.

Inter vence o Gre-Nal 406 e conquista o pentacampeonato do Gauchão Lauro Alves/Agencia RBS

Com gols de Nilmar e Valdívia nos primeiros 20 minutos de jogo, o Inter abriu boa vantagem. Giuliano deu esperança ao Grêmio no fim da etapa inicial, mas os colorados seguraram o placar no segundo tempo e garantiram a primeira taça do novo Beira-Rio.

O Inter dominou totalmente as ações no início da partida. Logo a sete minutos, Valdívia armou jogada na área e, em bola truncada, Nilmar mandou para o gol. Aos 18, foi a vez de Nilmar puxar o contra-ataque e rolar para Valdívia marcar.

Felipão colocou Walace no lugar de Fellipe Bastos, que estava amarelado, e o Grêmio cresceu. Aos 47, em bola cruzada na área, Giuliano rolou para o gol e descontou.

No segundo tempo, sem Nilmar, o Inter não conseguiu puxar os contra-ataques como na etapa inicial. O Grêmio esboçou uma pressão e teve mais posse de bola, mas não conseguiu marcar.

Gre-Nal 405 termina empatado e decisão do Gauchão fica para o Beira-Rio

O primero Gre-Nal da decisão do Gauchão 2015 terminou sem gols e empatados por três razões claras: 1) Houve muita marcação (como sempre); 2) Faltaram os homems-gols (Braian e Nilmar não foram bem); 3) Os craques (D’Ale e Douglas) pouco fizeram. Por isso, o clássico ficou no 0 a 0. Por isso, faltou mais emoção. Ficou tudo para o jogo do dia 3 de maio, no Beira-Rio.

Gre-Nal 405 termina empatado e decisão do Gauchão fica para o Beira-Rio Carlos Macedo/Agencia RBS

Inspirados pela voz bonita de Shana Müller (D’Ale e Fellipe Bastos até arriscaram cantar), que caprichou no Hino Riograndense antes da partida, os jogadores começaram o jogo com o pé no fundo. Logo a 1min30seg, Marcelo Oliveira
encarnou um ponta-esquerda driblador dos anos 1980 e saiu como um foguete em direção ao gol de Alisson. Caiu na área, mas Anderson Daronco não marcou nada.

A seguir, Braian Rodríguez bateu mascado e goleiro do Inter colocou para escanteio antes da chegada de Giuliano. O Grêmio mostrava mais sede nos primeiros movimentos de jogo. Em outra jogada de Marcelo Oliveira, Maicon, com sua chuteira verde-limão, mandou para sobre o gol colorado.O Inter parecia paralisado com a correria imposta pelo time de Felipão. Despertou quando o lateral-esquerdo Geferson aplicou um chapéu em Luan, aqueles de raspar o cabelinho.

Aos 25, a melhor chance da equipe de Aguirre com Nilmar em uma arrancada bem característica. Saiu a dribles e bola sobrou para Sasha que, impedido, chutou alto.

O Grêmio continuava um pouco melhor. Douglas bateu de esquerda e Alisson defendeu. Agitado, Felipão balançou a cabeça. O técnico gremista não saiu do espaço reservado aos técnicos. Aguirre, não, ia e voltava, colocava a mão no queixo e pouco
instruções passava. Antes de Daronco terminar a etapa inicial, William, lateral que estava assustado nos primeiros minutos, chutou cruzado, levando perigo a Grohe. Aliás, Grohe resumiu os primeiros 45 minutos assim:

—  Foi um jogo aguerrido, equilibrado.

Aguerrido sim, mas tendeu mais para o Grêmio. O segundo tempo foi bem diferente. E essa diferença tem nome: Valdívia. O transformou o Inter. E o jogo. Jogador vertical, levou a equipe de Aguirre à frente. Aos 13, em contra-ataque, D’Ale arrancou e bateu firme para defesa também firme de Grohe.

Aos 17 minutos, um baque no Grêmio: Geromel foi expulso ao derrubar Valdívia. Aso 24, outra boa chance para os colorados, outra jogada de Valdívia, finalizada por Sasha.

Para tentar mudar o cenário favorável ao Inter, Felipão mandou Cebolla a campo. A torcida vibrou. Um torcedor tricolor gritou: “Vai Cebollita”. Mostrou garra, coisa e tal, mas não pouco ajudou.

O jogo, bem brigado, terminou sem gols. É o que se espera ver no Beira-Rio na próxima semana.

Sérgio Villar

Inter vence Brasil-Pel e está na final do Gauchão

O Inter disputará contra o Grêmio a final do Gauchão. Com gols de Alex e Valdívia na tarde deste domingo, no Beira-Rio, o Inter chegou à decisão do Estadual e pode chegar ao pentacampeonato gaúcho. A vitória do time de Diego Aguirre – que disputará seu primeiro título no comando colorado – faz com que a o campeão do Estadual seja conhecido no Beira-Rio, dia 3 de maio. Uma semana antes, dia 26 de abril, a Arena do Grêmio recebe a primeira partida da decisão.

Alexandre Ernst

Inter vence Brasil-Pel e está na final do Gauchão Lauro Alves/Agencia RBS

A partida no Beira-Rio teve um começo moroso, lento. As equipes muito mais se estudavam que buscavam o jogo. O time de Diego Aguirre trocava passes, aproveitava a posse de bola e a calma da vantagem pelo 0 a 0 por conta do empate em 1 a 1 de Rio Grande, no Aldo Dapuzzo, para organizar suas investidas. Com 10 minutos, Eduardo Martini sofreu o primeiro susto. Anderson cruzou da direita de ataque na cabeça de Valdívia. O goleiro do Brasil-Pel conseguiu tocar de leve na bola, que ainda carimbou o travessão e levantou a torcida pela primeira vez no Beira-Rio. Três minutos depois, Martini teria de fazer nova intervenção e mandar para escanteio uma cobrança de falta que tinha endereço. Com menos de 15 minutos de jogo, estava clara a proposta de Inter e de Brasil-Pel. Os pelotenses, fechados, aguardavam um contra-golpe para tentar matar o jogo. Os colorados faziam valer a força local e enfileiravam chances – consagrando Eduardo Martini de ataque a ataque.

Vinha de Anderson as principais articulações do Inter. Aos 18 minutos, Lisandro López, William e o ex-Manchester United triangularam em velocidade e o centroavante obrigou Martini a nova defesa. Sem D’Alessandro, costumeiro maestro da torcida do Inter no Beira-Rio, até envolver a torcida Anderson tentou: agitava os braços, olhava para as arquibancadas e pedia aos milhares de colorados que incendiassem a casa colorada. Aos 34 minutos, houve um momentâneo silêncio no Beira-Rio. Alex Amado, em uma das poucas investidas do Brasil-Pel, recebeu um lançamento às costas de William. O lateral conseguiu se recompor na jogada, mas permitiu o chute. Ainda que
fraco, o arremate arregalou os olhos dos colorados e foi o responsável por uma bronca geral de Alisson na defesa do Inter. O xingão do goleiro poderia ser estendido para toda a equipe. O ímpeto do início da partida diminuiu, Alex pouco aparecia, Valdívia deixou de dar suas arrancadas. Nico e Nilton faziam faltas em demasia e esta postura passou a inquietar os colorados no Beira-Rio.

– Conseguimos segurar, não corremos riscos. Só falta marcar o gol – resumiu Alan Costa na saída para o intervalo.

Lisandro López quase fez com que o segundo tempo fosse mais fácil para o Inter. Logo aos cinco minutos, tentou, de peixinho, escorar um cruzamento da direita feito por William. Se o argentino não conseguiu vencer Martini, Alex e Valvídia conseguiram. Na jogada que abriu o placar, o garoto lançou Alex. O meia, com o oportunismo de um centroavante matador, apareceu no meio da área e encobriu o número 1 do Brasil-Pel. Cinco minutos depois, a defesa pelotense permitiu que Valdívia chutasse de fora da área. A bola, colocada, ainda bateu na trave antes de morrer no fundo da rede.
Os gols transformaram a partida em um jogo de um time só. William investia pela direita. Lisandro López saía da área para boas triangulações. Valdívia e Alex trocavam passes na intermediária, com liberdade. Ruschel, aos 28, apareceu como um falso meia, pela esquerda, e quase ampliou com um chute na trave. O torcedor, feliz não apenas com o resultado, mas com a entrega de seus jogadores, aplaudiu Valdívia e Anderson para as entradas de Vitinho e Rafael Moura, respectivamente, e enlouqueceu quando, aos 35, Rafael Moura entrou de carrinho para marcar o gol depois do bom cruzamento de William.

Próximo aos 40 minutos, um grito forte de “olé, olé” já era ouvido da arquibancada. O Brasil-Pel ainda descontou com Márcio Jonatan, que récem havia entrado para a saída de Alex Amado

Com uma goleada na Libertadores e outra no Gauchão em menos de uma semana, o colorado não escondia a empolgação com o trabalho encaixado do time de Diego Aguirre. Há muito não se via esta tranquilidade no Inter e no Beira-Rio. Os Gre-Nais prometem.

Inter e Brasil-Pel empatam em Rio Grande, e decisão fica para o Beira-Rio

O Inter levou a decisão da vaga para a final do Gauchão 2015 para Porto Alegre. Em partida realizada no Estádio Aldo Dapuzzo, em Rio Grande, o time de Diego Aguirre empatou em 1 a 1 com o Brasil-Pel. O jogo de volta será no domingo, dia 19 de abril, às 16h, no Beira-Rio.

Inter e Brasil-Pel empatam em Rio Grande, e decisão fica para o Beira-Rio Carlos Macedo/Agencia RBS

Em um confronto marcado pela confusão envolvendo torcedores xavantes e Brigada Militar, no intervalo, o Inter poupou seus principais titulares visando a Copa Libertadores da América. Aos 47 minutos do primeiro tempo, Valdívia alçou a bola na área e Rafael Moura mandou de cabeça para o fundo das redes. Aos 36 do segundo, Rafael Forster empatou em cobrança de pênalti cometido por Geferson.